Decepção

O que mais me irrita é uma pessoa usar um defeito meu contra mim. Eu acho que pelo fato de amar demais meus amigos eu me torno dispensável. Aquela pessoa que vai sempre estar ali esperando com um ombro amigo, não importando se apareceu ou não num dia ou no outro, ou no outro…

Decepção

O que mais me irrita é uma pessoa usar um defeito meu contra mim. Eu acho que pelo fato de amar demais meus amigos eu me torno dispensável. Aquela pessoa que vai sempre estar ali esperando com um ombro amigo, não importando se apareceu ou não num dia ou no outro, ou no outro…

A Lua de hoje

Você por um acaso parou e olhou para a lua hoje? Viu quão majestosa ela está no céu somente dela? Não? Ponha sua cabeça pra fora da janela e a observe.

Nada melhor pra representar sua beleza do que uma sonata:


 

A Lua de hoje

Você por um acaso parou e olhou para a lua hoje? Viu quão majestosa ela está no céu somente dela? Não? Ponha sua cabeça pra fora da janela e a observe.

Nada melhor pra representar sua beleza do que uma sonata:


 

Alegria ou Felicidade

Antigamente após um longo tempo de felicidade vinha aquela onde de tristeza. Sabe quando a euforia acaba e a adrenalina sai do sangue e você se vê sozinho? Hoje eu não tenho mais isso.
A partir do momento que parei de me punir, de me impor regras, limites, percebi que a vida é mais alegre do que pensava. Então sigo em frente agora, sabendo que meus problemas não são tão grande que eu não possa resolver. Calma, isso não é um texto de auto-ajuda e sim um relato de como tenho vivido.

Feliz, vamos ver se essa felicidade se torna alegria! Obrigado a quem faz parte disso!

Alegria ou Felicidade

Antigamente após um longo tempo de felicidade vinha aquela onde de tristeza. Sabe quando a euforia acaba e a adrenalina sai do sangue e você se vê sozinho? Hoje eu não tenho mais isso.
A partir do momento que parei de me punir, de me impor regras, limites, percebi que a vida é mais alegre do que pensava. Então sigo em frente agora, sabendo que meus problemas não são tão grande que eu não possa resolver. Calma, isso não é um texto de auto-ajuda e sim um relato de como tenho vivido.

Feliz, vamos ver se essa felicidade se torna alegria! Obrigado a quem faz parte disso!

A Rainha dos Condenados (resenha)

Lestat o muleque travesso, ou melhor o príncipe travesso.

“… Numa esteira escura de roupas infladas pelo vento a Rainha ergueu-se em feroz velocidade, o corpo de Lestat pendendo de seus braços; ela tomou a direção do ocidente, afastando-se do sol que nascia… Ah, pobre amante, ah pobre lindo príncipe louro…”

O livro A Rainha dos Condenados começa exatamente onde termina o livro O Vampiro Lestat. Lestat está no palco, no êxtase do palco.

Continue reading “A Rainha dos Condenados (resenha)”

Seu Jorge

Não é de hoje que eu acompanho esse cantor e ator. Eu lembro que a primeira música dele que eu ouvi foi Cotidiano, mixado e passava num clipe da MTV. A música é essa aqui:
[audio:http://www.mouragomes.com/wp-content/uploads/2012/01/Seu-Jorge-Cotidiano.mp3]

Desde então venho acompanhando seu trabalho e conhecendo um pouco mais da sua história. Uma pincelada leve sobre a vida dele. Desde cedo trabalhou, entre borracheiro e office-boy. Serviu no exército por um ano, onde se tornou corneteiro. Não se adaptando ao serviço militar, saiu e passou a frequentar rodas de samba e funk com sua família, pois seu desejo sempre foi ser músico. A vida dele deu uma reviravolta quando seu irmão morreu em uma chacina desintegrando completamente a sua família. Virou sem teto, mas após três anos sua vida deu uma nova reviravolta quando o clarinetista Paulo Moura o convidou para participar de um teste para um espetáculo onde foi aprovado e passou a se apresentar com este grupo. Participou depois da formação da banda Farofa Carioca, que lançou seu primeiro CD em 1998. A partir daí, Seu Jorge tem sua carreira engrenada e passa a participar de vários projetos, como um disco de tributo a Tim Maia e a participação em estúdio e na turnê da banda brasileira Planet Hemp, em 2000 (fonte Wikipewdia claro).

O que achei engraçado conhecendo a história dele, é que ele é sobrinho da grande Jovelina Pérola Negra e primo do Dudu Nobre, mas mesmo assim ele conseguiu chegar onde está por qualidades próprias (ao contrário de muita bandinha ridícula que aparece por aí ajudado por papai e mamãe). Seu sucesso, pra mim, se deu após a belíssima junção de sua voz com a Ana Carolina no cd Ana Carolina e Seu Jorge. Então segue aqui minha “homenagem” a um cantor que representa muito bem nossa MPB. Aí vão algumas músicas dele:
[audio: http://www.mouragomes.com/wp-content/uploads/2012/01/Ana-Jorge-Ao-Vivo-DVD-Audio-03-Tive-Razão.mp3, http://www.mouragomes.com/wp-content/uploads/2012/01/Seu-Jorge-Burguesinha.mp3, http://www.mouragomes.com/wp-content/uploads/2012/01/seu-jorge-mina-do-condominio.mp3, http://www.mouragomes.com/wp-content/uploads/2012/01/Seu-Jorge-Quem-não-quer-Sou-Eu-.mp3, http://www.mouragomes.com/wp-content/uploads/2012/01/Ana-e-Jorge-Tanta-Saudade.mp3]

Senna

Eu não preciso discursar sobre quem foi ele. Creio que a palavra Herói no seu significado mais puro já define o que ele foi. Estou com o filme dele, mas não tive coragem ainda de assistir, mas vejam a ótima homenagem feita por um programa estrangeiro que vi no UHULL


 

A indústria da morte – Parte 2

Aniquilação

Em maio de 1941, as tropas alemãs invadiram a URSS. Em 4 semanas de combates, foram feitos 3 milhões de prisioneiros – 2 milhões morreriam antes de 9 meses na prisão. Segundo o historiador britânico Robert Gellately, autor de The Specter of Genocide (“O Espectro do Genocídio”, inédito no Brasil), a invasão da URSS alterou os rumos da guerra no leste, iniciando a guerra de aniquilação, ou vernichtungskrieg, termo utilizado por Hitler para explicar que o objetivo alemão seria destruir completamente o Estado comunista. Para os nazistas, a aniquilação dos soviéticos era justificável: primeiro por causa das crenças racistas, que viam na mistura do comunismo com o judaismo a pior raça possível – eram numerosas as comunidades judaicas na URSS. Depois, do ponto de vista prático e logístico, o desfecho das vitórias que fatalmente aconteceriam elevaria sobremaneira a quantidade de prisioneiros sob os cuidados da Alemanha, tornando-se inviável garantir sua sobrevivência.

Em 22 de maio de 1941, a comissão econômica do 3º Reich se reuniu para discutir a logística após as primeiras semanas da invasão. As atas desse encontro foram encontradas em Berlim após a guerra e permaneceram durante muito tempo secretas. Recentemente foram publicadas pelo historiador americano Richard Overy, no livro Russia’s War (“A Guerra da Rússia”, sem tradução em português). “Se quisermos avançar em território soviético, temos que reduzir o consumo de alimentos e de energia das populações locais”, diz um trecho do relatório. Mais adiante, o documento conclui: “Nada de falsa piedade. Milhões morrerão de fome”.
Continue reading “A indústria da morte – Parte 2”