Serial Killer é só homem?

Olha eu de novo

Estava esse dias pensando que eu devia postar alguma coisa, mas não adianta, sem inspiração não dá. Vejo muito blog aí que o cara posta qualquer coisa e acha que está bom. De qualquer forma faz um tempo que eu não posto, nem o “sexta dia de música” da sexta passada eu postei =/, mas vamos lá.

Hoje uma reportagem da Galileu me chamou atenção:

Aileen Wuornos

Para quem não conhece, vou dar uma dica: Filme Monster interpretado por Charlize Theron que interpretou perfeitamente esta mulher. Logo abaixo vou colocar uma breve biografia não oficial dela coletado do wikipedia:

Aileen Carol Pittman, conhecida como Aileen Wuornos, (29 de fevereiro de 19579 de outubro de 2002) nasceu em Rochester, Michigan, Estados Unidos da América, foi uma prostituta considerada, errôneamente, a primeira mulher assassina em série da América.

Sua infância foi problemática devido em parte a pais adolescentes que estavam há meses separados antes que ela nascesse. Em 1960, sua mãe, Diane Pratt, a abandonou junto com o irmão Keith, que foram adotados pelos avós, Lauri e Britta Wournos. Seu pai, tirano e psicopata, foi preso, em 1969, onde se suicidou. Sua face é marcada de cicatrizes que vêm de comportamentos automutilantes durante a infância. Engravidou do próprio irmão e aos quatorze anos foi internada em um centro para as mães que entregam seus filhos para adoção. Em 1971, deixou sua casa e começou a exercer a profissão de prostituta, em lugares diversos, e cometendo pequenos delitos. Normalmente utilizava apelidos como: Sandra Kretsch, Lee Blahover, Lori Grody e Cammie Greene. Em 1974 foi detida por dirigir bêbada e atirando em um carro, seu irmão, Keith, morreu em 1976 de câncer, Aileen herdou então dez mil dólares de seu seguro de vida, que rapidamente gastou em luxos e em um carro novo. Casou-se em Miami com Lewis Fell, mas o matrimônio durou pouco. Em 1981 foi condenada por roubo no estado da Flórida e cumpriu treze meses de prisão. Outras apreensões ocorreram por uso de cheques sem fundo, roubar uma arma, dirigir sem licença, resistência à autoridade, falsidade de informação, roubo de carro, excesso de velocidade, intimidação, etc.

Passou a freqüentar ambientes lésbicos e namorou com Tyra Moore, com quem permaneceu por 4 anos, em que se sustentaram com uma renda apertada conseguida com a prostituição de Aileen e outros crimes. A cumplicidade de ambas as conduziu para o vandalismo, a violência e o ódio. Um ano depois sua conduta ficou absurdamente incontrolável, levando continuamente uma arma na bolsa. Convenceu sua amante que deveria vingar-se dos homens por tudo o que eles tinham feito com elas por toda a vida e começou a matança.

Sua primeira vítima foi Richard Nallory, um eletricista de 51 anos encontrado no dia 13 de dezembro de 1989 perto de Daytona Beach com três tiros de bala. Aileen o matou após ter sido, por ele, espancada, estuprada e ameaçada de morte. Ao que tudo indica, sua primeira vítima foi feita em legítima defesa. Seis meses depois outro homem foi morto com seis tiros, e sem identificação. Matou ao menos seis homens, entre quem havia Charles Carskaddon, Peter Siems, Eugene Burress, Dick Humphreys e Walter Antonio. Aileen foi encontrada junto com sua companheira através de denúncias. Confessou os seis assassinatos e de depois de um longo julgamento e um exame psiquiátrico, foi condenada a morte e executada, por ordem de Jeb Bush, por meio de injeção letal no dia 9 de outubro de 2002. Na prisão, Aileen foi diagnosticada com transtorno de personalidade Borderline, uma doença mental causada por longa exposição a traumas e que faz seus portadores cometerem esforços frenéticos para se evitar um abandono, além de serem bastante impulsivos. Sua história rendeu um filme com o título Monster (no Brasil: Desejo Assassino) em 2003, o filme rendeu o oscar de melhor atriz para a sul-africana Charlize Theron que representou Aileen como protagonista. O filme [www.monsterfilm.com] rendeu US$ 30,000,000.00.

Fato interessante desta história é que há relato de Aileen dizendo que a polícia sabia de seu paradeiro que evitou prende-la para torna-la uma matadora em série (serial killer); o propósito disto seria criar fama à assassina para posteriormente lucrar com a venda de livros, filmes, etc.

Após investigação de três policiais envolvidos no caso sobre esta acusação de Aileen, não foram julgados e nenhum relato detalhado sobre a investigação foi publicado.

Esta acusação em quem ela afirma que os policiais sabiam do paradeiro dela estão no vídeo gravado um dia antes de sua morte:

Suas vítimas foram:

1. Richard Mallory, 51 anos. Seu corpo foi encontrado em 13 de dezembro de 1989, no distrito de Volusia.
2. David Spears, 43 anos. Seu corpo foi encontrado em 01 de junho de 1990, ao longo da Rodovia 19, no distrito de Citrus.
3. Charles Carskaddon, 40 anos. Seu corpo foi encontrado em 06 de junho de 1990, no distrito de Pasco.
4. Troy Burress, 50 anos. Foi dado como desaparecido em 31 de julho de 1990, e seu corpo encontrado o distrito de Marion.
5. Charles “Dick” Humphreys, 56 anos. Seu corpo foi encontrado no distrito de Marion.
6. Walter Gino Antonio. Seu corpo foi encontrado em 19 de novembro de 1990, no distrito de Dixie.
7. Peter Siems. Seu corpo nunca foi encontrado, mas Wuornos admitiu tê-lo assassinado.

Vocês podem conferir mais vídeos sobre o caso nos links:
Fita onde ela confessa o crime: Link
Ela pede para ser morta, pois pode voltar a matar: Link

Ela foi diagnosticada com Transtorno de Personalidade Limítrofe (TPL) uma doença que eu já mencionei no blog neste post

Assistam o filme, pois vale à pena.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *