Blá Blá Blá

Das trevas a Luz

É nesse imenso mar de esquecimento que vivo
Tentando me lembrar do passado
Pra saber o que sou no presente
E definir o que farei no futuro.

Minha infância perdida no tempo
Tornou-se uma frustração
E até um desalento,
Pois minha juventude passou desapercebida
Presa nos problemas da vida.
Na angústia do tempo.

Daí me vêm você e pergunta:
Está com medo do escuro?
E eu te respondo:
Para quem saiu das trevas
Você acha que teria medo do escuro?

Do escuro que são as lembranças,
Das sombras que são os sentimentos
E do negrume que são os pensamentos

Não, de forma alguma teria medo.
No recôndito da minha mente
Está a minha certeza
De que a luz que um dia me guiou
Continua lá esperando eu abrir os olhos
Enxerga-la, e seguí-la

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *