A História do Ladrão de Corpos (resenha)

Não conseguiria dormir sem antes fazer essa resenha. Mais um livro das Crônicas Vampirescas da Anne Rice.

“- Oh. Todos os outros invejam meu gênio forte, minha impetuosidade, minha força de vontade! Adoram isso. Mas quando demonstro fraqueza, me abandonam. Louis me abandonou. – Pensei então na rejeição de Louis e, com uma satisfação maldosa, pensei que em breve eu o veria outra vez. Ah ele ia ficar surpreso. Então senti um pouco de medo. Como eu poderia perdoar-lhe? Como me controlar para não explodir numa chama destruidora?…”

Tenho lido os Livros da Anne Rice de forma desordenada propositalmente. Havia acabado de ler O Vampiro Lestat (resenha aqui) e fui com toda a sede para ler o Ladrão de Corpos. Confesso que no início o livro é enfadonho, com uma narrativa um pouco pesada e mais culta. Mas alguns capítulos essa história muda.

Cansado da sua vida/morte Lestat decide se entregar ao sol no deserto de Gobi, mas descobre da forma mais dolorosa que nada é tão simples como parece.

Lestat, sempre Lestat descobre uma nova aventura a ser vencida e não há quem convença-o do contrário, nem David, nem Louis seu eterno amante (confesso que não sou fã de Louis). Um sujeito persuasivo encontra Lestat e lhe propõe algo muito tentador. Algo que Lestat sempre desejou desde sua transformação com Magnus a cerca de 200 anos atrás. Tornar-se mortal novamente. Impetuoso Lestat recusa qualquer conselho e topa o desafio. Nem desconfia o que lhe espera mais para frente.

O livro trona-se cada vez mais empolgante à medida que Lestat se apaixona por um freira, que cuida de seu corpo mortal enfermo e encurralado. Louis indiferente como sempre recusa-se ajudar Lestat sobrando somente David para ajudar nosso eterno Lestat. David astuto cria um plano para devolver a Lestat o que é seu por direito e acaba envolvido em uma briga que não é sua.

“Eu nem podia imaginar o que ele estava sentindo! Eu havia trocado de corpo de um deus por aquele. David trocou o corpo de um velho, com a morte espreitando sobre seu ombro, o corpo de um homem para quem a juventude era um conjunto de lembranças dolorosas e atormentadoras, um homem tão abalado por essas lembranças que sua paz de espírito começava a desmoronar, ameaçando fazer dele uma criatura amarga e desanimada da vida nos últimos anos que lhe restavam. Agora recebia a juventude de volta!…”

Lestat sempre sedutor, sempre digo que ele é desejado por quem lê, andrógeno não consegue resistir à David e acaba quebrando a promessa feita no início do Livro.

Enfim, o livro é daqueles que você prefere ficar com sono no dia seguinte do que dormir ou se alimentar. Além de esclarecer muitas coisas sobre outros livros. Por falar nisso não posso esquecer de comentar do Mojo, o fiel cachorro de Lestat.

“Saí com Mojo pelas belas ruas do French Quarter, rindo do modo que as pessoas olhavam para ele e procuravam passar ao largo, apavoradas, sem desconfiar que não era bem o cão que deviam temer.”

A História do Ladrão de corpos é mais um livro excelente da Anne Rice trazido ao Brasil pela Rocco. Recomendo!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *