Blá Blá Blá

Pitbull

Já faz um tempo que estou querendo falar sobre isso.. Depois de ouvir uns imbecis no ponto de ônibus falando merda sobre essa raça resolvi esclarecer algumas coisas por experiência. O Pitbull, a raça Pitbull vem do cruzamento de três raças, o American Pit Bull Terrier, o American Staffordshire Terrier e o Staffordshire Bull Terrier.

O cachorro, como todo animal doméstico, segue os padrões de personalidade do lar, ou seja, ele espelha o que “ensinado” no dia-a-dia. Não é uma raça que é mais violenta ou menos violenta. O Pitbull é um cachorro extremamente ativo. Quem não tem tempo pro animal nem compre que ele vai acabar deprimido ou então ele vai acabar “descontando” a energia rasgando o sofá ou o que encontrar pela frente, assim como toda raça bagunceira faz quando pequeno. Por ser uma raça extremamente ativa, necessita de espaço para correr, recreação e cuidados veterinários. Mesmo após a idade adulta (4 anos) continua brincalhão, ao contrário de diversas raças que nessa idade “sossega”.

Vejo constantemente o emprego errôneo de que a raça é violenta, que deveria ser banida, que isso e que aquilo. Repito, o cachorro espelha aquilo que “aprende” dentro de casa. Se a casa é agitada ou se o cachorro é mal tratado, ele se tornará agressivo e será uma bomba relógio pronto a atacar. O fato de ser uma raça extremamente forte, com uma mordida equivalente a 2 toneladas no mínimo, intensifica essa idéia de violência. Porém o cachorro é como qualquer outro. Vigilante, extremamente fiel ao dono, comilão (40 kg de ração por mês) e muito carente, vive pedindo atenção.

Uma característica comum em Pit bull que ataca alguma pessoa é um dono agressivo e a orelha cortada. O Pitbull com a orelha normal já tem a audição maior que a de um cachorro normal. Ao cortar a orelha essa audição se intensifica em quase 10x, devido os sensores ficarem expostos. Então imagine-se com a audição aumentada em 10x e uma criança idiota (geralmente é criança a atacada) que fica provocando o cachorro (não venha com hipocrisia dizendo que a criança não sabe o que faz, com seus 9 anos sabe muito bem o que é provocar), jogando bombinha perto do cachorro. O cachorro tem memória, consegue muito bem guardar o cheiro do infeliz até um dia que consegue se soltar. Daí é fatal.

Eu tive uma branca/malhada que viveu conosco até os 5 anos. Infelizmente mudei para uma casa menor e não pude leva-la. Bagunceira extrema, que até cansava o pessoal de casa. Odiava gatos (mesmo) e outros cachorros. Sempre carinhosa, em dia de chuva se escondia do barulho, ou seja, uma cadela comum, devido a criação que teve.

Enfim, não julgue o cachorro e sim o infeliz que criou o pobre coitado. Observação, não é porque eu fiz esse relato que sou idiota de todo pitbull na rua eu passo a mão, nem em vira lata eu faço isso, portanto não invente e depois me culpe ¬¬

Seguem algumas imagens =)

[slideshow id=10]

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *